GOOGLE CONFIRMA TER ATINGIDO A SUPREMACIA QUANTICA

October 24, 2019

 

Por G1

 

Problema que levaria milhares de anos para ser resolvido em um computador "clássico" foi solucionado em segundos. Feito permitirá, entre outras possibilidades, a produção de medicamentos mais eficazes.

 

Pesquisadores do Google afirmaram ter atingido um feito histórico para a computação quântica, definido como a "supremacia quântica".

 

Segundo eles, o Sycamore, chip de computação quântica da empresa, conseguiu solucionar em 200 segundos um problema que levaria milhares de anos para ser resolvido por computadores tradicionais. A tarefa escolhida pelo Google era checar os resultados de um gerador quântico de números randômicos — uma tarefa que tem poucas aplicações práticas.

 

De acordo com o Google, este é um "momento de possibilidade" e pode ser comparado com a construção do primeiro foguete que deixou a gravidade da Terra e foi para o espaço. "A computação quântica nos dá a chance de alcançar diversas aplicações práticas e melhorar o mundo de maneiras que a computação clássica não permitiria sozinha", diz Sundar Pichai, presidente do Google.

 

A partir deste marco, será possível projetar baterias mais eficientes, além de produzir fertilizantes utilizando menos energia e medicamentos mais eficazes.

Empresas gigantes da tecnologia, como Intel, Microsoft, IBM e Alibaba têm investido pesado nessa tecnologia. A China também está de olho no potencial da computação quântica: o país é o segundo que mais dá entrada em patentes sobre o tema e já investiu US$ 400 milhões em um laboratório nacional de pesquisas quânticas. O governo de Donald Trump, nos EUA, prometeu investir US$ 1,2 bilhão em um pesquisas sobre física quântica, o que inclui computadores.

 

A diferença de um computador quântico para um clássico, cujo funcionamento é binário, é que o quântico consegue calcular uma quantidade maior de informações, que podem ser processadas e armazenadas ao mesmo tempo.

 

Enquanto em uma máquina clássica (como os nossos desktops domésticos e smartphones) o processo acontece em bits, representados pelos códigos 0 ou 1, em uma quântica o processo é feito por qubits, que têm propriedades quânticas, combinando 0 e 1 ao mesmo tempo.

Apesar do anúncio do Google, o feito divulgado nesta quarta é disputado pelos concorrentes. Em um comunicado postado em um blog oficial, a IBM questionou o feito do Google, afirmando que o cálculo realizado pode ser feito com "grande fidelidade" por um super-computador binário em dois dias e meio.

 

"Já que o conceito original do termo 'supremacia quântica', proposto em 2012 por John Preskill [físico americano], era de descrever o ponto em que computadores quânticos podem fazer coisas que os computadores clássicos não podem, essa categoria ainda não foi atingida", disseram pesquisadores da IBM, no texto assinado em conjunto.

 

As afirmações da IBM ainda não foram checadas por outros cientistas, mas, se procederem, o feito do Google seria considerado uma vantagem quântica, por resolver um problema mais rápido, mas que ainda pode ser solucionado por computadores clássicos.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload