PESQUISADORA DA UFF GANHA PRÊMIO INTERNACIONAL


Pesquisa anti-tuberculose é inédita no país

Uma das linhas desenvolvidas na pesquisa premiada apresenta caráter único e inédito para a ciência brasileira

O Relatório Mundial da Tuberculose 2018 divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou poucas alternativas de tratamentos em potencial para infecções resistentes a antibióticos, sendo uma dessas ameaças a chamada tuberculose multidroga resistente (TB-MDR), que mata a cada ano cerca de 250 mil pessoas. Grande parte dos medicamentos produzidos para o tratamento da tuberculose que se encontram em etapa de desenvolvimento são modificações de antibióticos já existentes, sendo assim, são meramente soluções a curto prazo.

Com foco nessa realidade, a equipe de alunos coordenados pela professora Vanessa do Nascimento, do Laboratório SupraSelen, localizado no Instituto de Química da Universidade Federal Fluminense, reuniu esforços com outros dois docentes do Departamento de Química Orgânica, Marcela Cristina de Moraes e Fernando de Carvalho da Silva; e um do Departamento de Tecnologia Farmacêutica, Vitor Francisco Ferreira, para o desenvolvimento de uma pesquisa que testou moléculas derivadas da vitamina K contendo selênio — mineral que entre seus principais benefícios combate o envelhecimento celular — para verificar sua atividade contra a tuberculose. O estudo realizado desde 2016 comprovou a eficiência do material testado no combate à doença.

Segundo a idealizadora do SupraSelen e professora do Departamento de Química Orgânica, Vanessa do Nascimento, o trabalho mantém uma promessa de progresso adicional na descoberta de novos antibióticos contra a doença resistente a medicamentos que são oferecidos pela indústria farmacêutica atualmente. “No presente momento, estamos finalizando os testes de toxicidade. A pesquisa é bastante promissora; sendo assim, esperamos que tenha alto impacto não só para a comunidade científica como para a sociedade em geral”, ressalta.