NOVO TESTE PARA CÂNCER DE PRÓSTATA

September 13, 2017

NOVO TESTE PARA CÂNCER DE PRÓSTATA SERÁ APRESENTADO EM CONGRESSO DE ONCOLOGIA NO RIO DE JANEIRO A empresa fabricante de produtos médicos Beckman Coulter vai apresentar no Congresso da Sociedade Internacional de Oncologia e Biomarcadores os resultados positivos de um novo exame para o diagnóstico do câncer de próstata. O novo teste reduz em 30% as biópsias desnecessárias, uma vantagem para médicos e pacientes. Sobre o câncer de próstata:

 

A próstata é uma glândula existente apenas no corpo de homens e localiza-se na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão com formato de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozóides, liberado durante o ato sexual. O câncer de próstata em estágio inicial geralmente não provoca sintomas, enquanto em estágio avançado pode causar alguns, como: Micção frequente. Fluxo urinário fraco ou interrompido. Vontade de urinar frequentemente à noite (Nictúria). Sangue na urina ou no líquido seminal. Disfunção erétil. Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou. Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés. Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. Porém, a grande maioria cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem. Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justiácado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

 

O câncer de próstata é o segundo mais frequente em homens no Brasil. “É uma doença que aparece num número grande de pessoas. Ter ferramentas para fazer um diagnóstico mais preciso e sem procedimentos invasivos é um avanço muito importante”, aárma o Dr. Prof. Dr. Adagmar Andriolo, médico patologista clínico, Chefe da Disciplina de Medicina Laboratorial da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP e Presidente do Congresso deste ano.

 

O PSA (Antígeno Prostático Especíáco) é utilizado para pesquisar câncer de próstata em homens assintomáticos. É também um dos primeiros exames realizados em homens que apresentam sintomas que podem ser causados pelo câncer de próstata. A maioria dos homens sem câncer de próstata tem níveis de PSA inferiores a 4 nanogramas por mililitro (ng /mL) de sangue. A chance de um homem desenvolver câncer de próstata aumenta proporcionalmente com o aumento do nível do PSA. Geralmente, quando o câncer de próstata está presente o nível do PSA detectado está acima de 4 ng/ml. No entanto, um nível abaixo desse valor não signiáca que o câncer não esteja presente. Cerca de 15% dos homens com PSA abaixo de 4 ng/ml são diagnosticados com câncer de próstata na biópsia.

 

Neste sentido, os biomarcadores são o futuro da oncologia de precisão e permitem o diagnóstico e tratamento da doença com mais assertividade. Por isso, o novo exame é uma evolução na luta contra o câncer de próstata. Ele utiliza a combinação de três marcadores sanguíneos: PSA livre PSA Total p2PSA. O p2PSA mede a concentração de pró-PSA no soro e permite alcançar resultados personalizados fornecidos com avaliação de risco individual para câncer de próstata. O p2PSA garante, em questão de segundos, maior especiácidade para o diagnóstico do câncer, pois o índice de saúde da próstata–phi é mais preciso que o PSA na detecção da doença. Além de ser bastante rápido e indolor, já que é um exame de sangue simples, o novo teste é uma fração do PSA, que só vai constar alterado no resultado se, realmente, o paciente estiver com câncer. Os avanços clínicos do índice de saúde da próstata–phi serão apresentados pelo Dr. Brian Helfand, diretor da divisão de Urologia e do Programa Personalizado de Câncer de Próstata da NorthShore University HealthSystem, em Chicago, nos Estados Unidos. Dr. Helfand participará de uma mesa redonda e irá compartilhar sua experiência clínica sobre o exame.

 

Fonte Beckman Coulter INCA Oncoguia